Monday, November 20, 2006

O Leilão da Guitarra "Blackie"




O leilão que aconteceu na quinta-feira do dia 24 de junho de 2004, na Casa de Leilões CHRISTIE´S em New York em benefício do CROSSROADS CENTRE, fundado por ERIC CLAPTON em 1997, na certa ficará para história, pois reuniu a "nata da nata de seu ecervo de guitarras e violões". Foram reunidos 58 instrumentos num total de 88 itens que incluiu banners, amplificadores e roupas usadas pelo guitarrista, em sua trajetória de 40 anos de guitarra. Verdadeiras preciosidades que ajudaram a enaltecer o talento de CLAPTON, foram leiloados como:

-O violão Martin modelo 000-42 fabricado em 1939, que Clapton usou nas gravações do álbum "Mtv Unplugged" e que foi inspirado na criação do modelo "000-42EC Eric Clapton Signature".

-Um outro violão Martin estilo 000-28/´45 Conversion, ano 1966 que Clapton adquiriu em novembro de 1970 em Nashville, quando o DEREK & THE DOMINOS iriam se apresentar no programa de Johnny Cash Show, e que depois foi usado nas gravações do álbum "461 Ocean Boulevard" no Criteria Studios, em Miami. A gravação da música "Smile" de Charlie Chaplin na Escandinávia e nas apresentações no Japão, além de Eric usá-lo no antológico A.R.M.S Concert em 1983, na música "Good Night Irene" com Ronnie Lane no vocal.

- O luthier Tony Zemaitis no final de 1968 e início de 1969 junto com Clapton que co-desenhou o violão fizeram um modelo de 12 cordas que viria ser usado pelo Eric nas gravações do único álbum "Blind Faith", em 1969, e que o "slowhand" acabaria emprestando a George Harrison no final de 1969 a meados de 1970, que usou nas gravações de "My Sweet Lord"

-Um "dobro" do final dos anos 30 fabricado pela The Regal Company, de Chicago, que Clapton usou na apresentação no Concert of The Century na Casa Branca no dia 23 de outubro de 1999 tocando "Ramblin´On My Mind" de Robert Johnson. Esse raríssimo violão também foi usado por Clapton nos últimos cinco anos, inclusive nas gravações do álbum "Pilgrim".

-O item 41, certamente será um dos mais disputados, tendo em vista o valor histórico que ela representa, trata-se da GIBSON ESS-335 TDC de 1964, com um valor estimado de 60.000 a 80.000 dólares. Eric Clapton a possuia desde a época em que tocava com o THE YARDIRDS em 1964, mas a utilizou também com JOHN MAYALL´S BLUES BREAKERS, CREAM e BLIND FAITH. Certamente essa relíquia ficou marcada nos braços de Eric Clapton principalmente nas imagens exibidas no vídeo "Farewell Concert" da despedida do grupo CREAM no Royal Albert Hall em 26 de novembro de 1968. Também a usou extensivamente nas gravações do álbum do BLIND FAITH. Nos estúdios Shangri-la em que estava sendo gravado o disco "No Reason To Cry" em 1976. Em uma entrevista de 1989, ele afirmou, que a música "Hard Times" do álbum "Journeyman", foi tocada com essa Gibson. Em 1994 essa Cereja Vermelha ES-335, retornou aos palcos nas gravações do vídeo de Martin Scorcese "Nothing But The Blues" em que ele tocava tres números de Freddie King; "Someday After A While", "I´m Tore Dawn" e "Have Your Ever A Loved A Woman". Além de outros vários registros, pode ser conferido no vídeo "Eric Clapton - Live In Hide Park".

O último item, o de número 88, com certeza bateu "todos os records" de aposta, pois tratava-se de uma das mais famosas guitarras do mundo. Sua história se confunde com a história do próprio Clapton, tamanha afinidade e fidelidade que foi selada por mais 15 anos. Clapton tocou com ela pela primeira vez no palco, nas apresentações do Rainbow Theatre, no dia 13 de janeiro de 1973 no concerto organizado por Pete Townsend (The Who), com a finalidade de impulsionar Clapton a sair do exílio que se encontrava, megulhado na escuridão da heroína. A guitarra "BLACKIE", um modelo Strotocaster, resultado da junção de tres instrumentos do período 1956 e 1957 que Eric comprou em Nashville.

Inseparável companheira durante os anos 70 e 80, a "BLACKIE" tornou-se uma referência por seu timbre cortante e refinado. São incontáveis os registros em gravações com essa guitarra, mas pode ser visto em "The Last Walts" com a The Band em 1974, os álbuns "Slowhand", "No reason To Cry" e o antológico "Just One Night" são testemunhas de sua sonoridade, que ainda inclui o A.R.M.S. Concert(1983) que tinha os três ex-Yardbirds (Clapton, Beck & Page), o álbum "Behind The Sun"(1985) que inclusive Eric Clapton usa em seu primeiro "clip" de sua carreira tocando "Forever Man" e s apresentação no "Live Aid" no estádio JFK Stadium no verão de 1985. Inclusive a guitarra "BLACKIE" serviu de modelo para o desenvolvimento do modelo da guitarra Stratocaster Eric Clapton Signature em 1985.

Eric Clapton se apresentou com ela pela última vez no comercial da Honda no Japão e gravou o solo da música "Bad Love" O valor estimado desta guitarra no leilão, era em algo de 100.000 a 150.000 Dólares.



A vedete deste leilão, foi guitarra "FENDER STROCASTER 1956/1957" mais conhecida como "BLACKIE", uma das guitarras mais famosas no mundo e de toda a história da Fender. A "BLACKIE" foi leiloada e arrematada pela quantia de $959.500 dólares, ou seja, "a guitarra mais cara até hoje vendida em leilões" , superando em muito as expectativas, que giravam en torno de $150.000 dólares, adquirida pela loja de instrumentos musicais Guitar Center

A guitarra vermelha que fez história nos braços de ERIC CLAPTON no "The Yardbirds", "John Mayall´s Bluesbreakers", "Cream" e "Blind Faith" GIBSON 1964 ES-335 foi arrematada por $847.500 dólares.

O violão Martin 1939 série 000-42 que ERIC CLAPTON tocou no disco "MTv Unplugged" em 1992 e que tinha um preço estimado de $60.000 a $80.000 dólares, foi arrematado por $791.500 dólares. A guitarra "Crash 3" que CLAPTON vinha usando nesta "tour 2004" foi arrematada por $321.100 dólares.

A guitarra FENDER STRATOCASTER chamada de EC1, folheada a ouro, comemorativa aos 50 anos do modelo Stratocaster, foi arrematada por $455.500 dólares.

A guitarra "Lenny" que foi de STEVIE RAY VAUGHAN e doada por seu irmão Jimmie, foi a segunda maior quantia arrecada no leilão, $623.500 dólares. O leilão foi um sucesso. Os 88 itens foram 100% vendidas, totalizando um valor de $7.438.624, facilmente superado em $ 5 milhões de dólares, o evento anterior realizado também CHRISTIE`S em 1999.

Friday, November 03, 2006

A História da Guitarra "Blackie"






De uma vasta coleção, poucas guitarras foram preservadas no leilão em junho de 1999, com renda revertida ao "Crossroads Centre", fundado por Eric Clapton. Entre elas uma guitarra quase sem valor, que ele mesmo construiu, e que ocupou um lugar especial em sua trajetória, era a sua favorita nos anos 70, chamada por Eric carinhosamente de "Blackie". Uma Fender Stratocaster preta, de 1956, oriunda de alguns modelos que Clapton comprou por meros 100 dolares cada uma, em Nashville em 1970.

"Ela é muito resistente para uma guitarra, com uma longa e pitoresca história", diz Eric. "Eu adquiri umas 12 Stratocasters em uma época em que o mercado de guitarras em geral estava em baixa. Os modelos Les Paul eram os preferidos dos heróis da guitarra, mas eu tinha um sentimento especial pelas stratocasters, um tanto inflexível, Buddy Holly foi de grande influência, particularmente no modo como ele se apresentava e eu amava o som e a aparência de sua Strato. Então, eu comprei essas guitarras e voltei para a Inglaterra com elas. Dei uma para o Steve Winwood, outra para o Pete Townshend e outra para George Harrison, e guardei as outras três. Destas três, fiz uma com as melhores peças de cada uma".

"Esta guitarra esteve sempre comigo em todos os tipos de dificuldades. Eu me lembro de uma vez na Jamaica, ensaiando como grupo para as gravações do álbum "461 Ocean Boulevard", eu estava muito bêbado e completamente fora de mim, no meio da noite, em um cinema que havíamos alugado. Nós só podíamos tocar a noite, da meia-noite até as seis da manhã. Ao terminar um número de Chuck Berry, eu cai, e o baterista terminou a música, eu esmaguei algumas partes da Blackie sob mim, e dentro de meia hora, ela estava tocando como nova, somente com alguns pequenos reparos. O corpo e o braço da guitarra estava totalmente partido e eu pensei: esta guitarra é minha vida. Ela pode aguentar tanto quanto eu.

Eu nunca senti realmente esta segurança com nenhuma outra guitarra. Posso apanhá-la ou deixá-la cair, ou atirá-la contra a parede e ela ainda estará afinada e continuará a tocar com coração e alma. Ela é insubstituível." "Eu mudo algumas vezes de guitarra por causa da afinação...porque eu uso algumas diferentes harmonias para tocar acordes. Mas a Blackie é a guitarra do coração. Com esta guitarra, eu posso fazer músicas que são realmente minhas. Eu posso me entregar por inteiro, enquanto que se eu uso uma Gibson, soará apenas como uma Gibson."

Lee Dickson, técnico de guitarras de Clapton é o guardião de Blackie, e é ele que cuida para que ela seja tratada com enorme cuidado. Mas num ponto Eric é inflexível; ela raramente sai de seu lado, e ao contrário da maioria das guitarras, é mantida em sua casa. "O que é especial nesta guitarra, é que ela veio de um período de minha vida em que eu era tão consencioso, que ela realmente captou este entimento dentro dela." (Texto extraído do livro "Clapton! - Uma Biografia Autorizada", de Ray Coleman).

A guitarra Blackie foi aposentada em 1985, após 15 anos de gloriosos serviços prestados."Ela está em casa agora", diz Eric. - "Eu a retirei da estrada por que ele é muito preciosa para mim, e temia que pudesse perdê-la ou mesmo danificá-la. Eu a uso quando estou em casa e ela ainda é a minha guitarra preferida."

A Blackie foi substituída por outras novas guitarras feitas pela Fender, uma série personalizada, especialmente copiadas do velho instrumento e feitas sob orientação do prórpio Eric Clapton, chamada de Fender Stratocaster Signature Eric Clapton.

(Adaptação de texto original escrito por Marissom Ricardo Roso e publicado no Eric Clapton Web Site)