« Home

A História da Guitarra "Blackie"






De uma vasta coleção, poucas guitarras foram preservadas no leilão em junho de 1999, com renda revertida ao "Crossroads Centre", fundado por Eric Clapton. Entre elas uma guitarra quase sem valor, que ele mesmo construiu, e que ocupou um lugar especial em sua trajetória, era a sua favorita nos anos 70, chamada por Eric carinhosamente de "Blackie". Uma Fender Stratocaster preta, de 1956, oriunda de alguns modelos que Clapton comprou por meros 100 dolares cada uma, em Nashville em 1970.

"Ela é muito resistente para uma guitarra, com uma longa e pitoresca história", diz Eric. "Eu adquiri umas 12 Stratocasters em uma época em que o mercado de guitarras em geral estava em baixa. Os modelos Les Paul eram os preferidos dos heróis da guitarra, mas eu tinha um sentimento especial pelas stratocasters, um tanto inflexível, Buddy Holly foi de grande influência, particularmente no modo como ele se apresentava e eu amava o som e a aparência de sua Strato. Então, eu comprei essas guitarras e voltei para a Inglaterra com elas. Dei uma para o Steve Winwood, outra para o Pete Townshend e outra para George Harrison, e guardei as outras três. Destas três, fiz uma com as melhores peças de cada uma".

"Esta guitarra esteve sempre comigo em todos os tipos de dificuldades. Eu me lembro de uma vez na Jamaica, ensaiando como grupo para as gravações do álbum "461 Ocean Boulevard", eu estava muito bêbado e completamente fora de mim, no meio da noite, em um cinema que havíamos alugado. Nós só podíamos tocar a noite, da meia-noite até as seis da manhã. Ao terminar um número de Chuck Berry, eu cai, e o baterista terminou a música, eu esmaguei algumas partes da Blackie sob mim, e dentro de meia hora, ela estava tocando como nova, somente com alguns pequenos reparos. O corpo e o braço da guitarra estava totalmente partido e eu pensei: esta guitarra é minha vida. Ela pode aguentar tanto quanto eu.

Eu nunca senti realmente esta segurança com nenhuma outra guitarra. Posso apanhá-la ou deixá-la cair, ou atirá-la contra a parede e ela ainda estará afinada e continuará a tocar com coração e alma. Ela é insubstituível." "Eu mudo algumas vezes de guitarra por causa da afinação...porque eu uso algumas diferentes harmonias para tocar acordes. Mas a Blackie é a guitarra do coração. Com esta guitarra, eu posso fazer músicas que são realmente minhas. Eu posso me entregar por inteiro, enquanto que se eu uso uma Gibson, soará apenas como uma Gibson."

Lee Dickson, técnico de guitarras de Clapton é o guardião de Blackie, e é ele que cuida para que ela seja tratada com enorme cuidado. Mas num ponto Eric é inflexível; ela raramente sai de seu lado, e ao contrário da maioria das guitarras, é mantida em sua casa. "O que é especial nesta guitarra, é que ela veio de um período de minha vida em que eu era tão consencioso, que ela realmente captou este entimento dentro dela." (Texto extraído do livro "Clapton! - Uma Biografia Autorizada", de Ray Coleman).

A guitarra Blackie foi aposentada em 1985, após 15 anos de gloriosos serviços prestados."Ela está em casa agora", diz Eric. - "Eu a retirei da estrada por que ele é muito preciosa para mim, e temia que pudesse perdê-la ou mesmo danificá-la. Eu a uso quando estou em casa e ela ainda é a minha guitarra preferida."

A Blackie foi substituída por outras novas guitarras feitas pela Fender, uma série personalizada, especialmente copiadas do velho instrumento e feitas sob orientação do prórpio Eric Clapton, chamada de Fender Stratocaster Signature Eric Clapton.

(Adaptação de texto original escrito por Marissom Ricardo Roso e publicado no Eric Clapton Web Site)